Google+ Badge

Google+ Followers

Se você procura um serviço de tradução português-espanhol profissional e de máxima qualidade, podemos ajudar-lhe...

terça-feira, 1 de novembro de 2011

OITO PASSOS PARA SER UM PERFEITO DESGRAÇADO








Autora: Patricia Rómer





Meu colega Justin Criner (www.AlwaysDeveloping.com) tem um fantástico artigo que baixo o título “The 8 steps to be unhappy, miserable, and depressed!” descreve perfeitamente a um protótipo de pessoa que com certeza você também tem ao redor. Justin é um conhecido coach norteamericano, nos conta que recebe diariamente clientes que sempre lhe perguntam: que posso fazer para ser uma pessoa infeliz, triste e depressiva? Isto é o que lhe há levado a criar este método de oito passos para ensinar-te a ser, de maneira rápida e eficaz, um completo desgraçado. A seguir um esquema de seu método:

Os 8 passos para ser infeliz, miserável e deprimido

1. Julga sempre aos demais:
Julgar aos demais é o melhor jeito de ser um infeliz. Quando estejas aborrecido, procura alguém a quem julgar, e se o faz saber. Julgar aos demais é a melhor maneira de aumentar nossos sentimentos negativos. O melhor é julgar aos demais do jeito mais duro possível para assim nos deleitar no dano que fazemos.
2. Queixa-te de tudo:
Queixa-te sempre, até das coisas menores e sem importância. Se alguma vez está bem com você mesmo é que esse dia não tem queixado o suficiente. Este costume faz que te ferva o sangue e nos faz estar pendentes das coisas negativas que nos rodeiam. O ideal é queixar-te depois de haver julgado a uma pessoa que tens perto, assim matas dois pássaros duma só vez. Se começas com um monte de queixas quando estás frente a una pessoa positiva, e consegues que também se ponha a queixar-se… isso te proporcionará uma semana extra de infelicidade.
3. Procura coisas que estejam mal e conte a tudo o mundo:
Esta é uma meta importante para você quando esteja trabalhando sua atitude negativa. Encontrar erros e falhas em tudo é um bom exercício. Tens muitas coisas diante de você: os maus motoristas, as estradas, a economia, tua família, teu chefe, teu trabalho, a comida, os políticos, teus vizinhos… pensa assim sempre e quando alguém te conte um problema lhe podes dizer “Isso não é nada comparado com o que me tem acontecido ” ou “se te faz sentir melhor, meu dia tem sido muito pior que o de você”.
4. Sai com outras pessoas infelizes:
Juntar-te com outras pessoas desgraçadas acelerará teu processo. Se estiver com pessoas que já tem as oito qualidades deste método podes copiar seus jeitos. Estas pessoas, que já tem conseguido odiar a vida, tem a qualidade de drenar qualquer ápice de felicidade que ainda fique em você.
5. Repete-te o estúpido que és quando erras:
Este exercício é estupendo, fala com você mesmo para lembrar o tonto que és, melhor se o fazes em voz alta, quanto mais descritivo sejas com os adjetivos melhor: estúpido, idiota, preguiçoso, tonto, odioso, gordo, feio, inútil… são só algumas sugestões.
6. Crítica:
Deves criticar tudo aquilo que se ponha por diante, tudo, e se tem alguém perto de você, não percas a oportunidade de contar para ele e se podes, critica a ele também, te odiará por isso, com o qual comprovarás que esse dia serás mais infeliz ainda.
7. Assume que o pior está por acontecer:
Faz-te a idéia de que nada nesta vida te funciona. Todo o mal sempre passa a você. Todo o mundo te odeia. Nada te sai bem. Não tens sorte nunca… e não se esqueça de contar a todo o mundo.
8. Elimina de teu vocabulário a palavra perdoar:
Mantém sempre o rancor, o ódio, o desprezo. Não perdoe nunca a teus inimigos. O perdão é a porta à felicidade, assim que rejeita-lo, já que perdoar te proporciona uma liberdade instantânea e isso é o último que procuras. Conta para todos o que te fizeram e o motivo que tens para não perdoar.
Nota: para aquelas pessoas que estejam interessadas em ser feliz, o primeiro passo é fazer exatamente o contrário do que indica este artigo.
Se de alguma maneira te sentes refletido neste artigo, enxergas que nada em tua vida te sai bem e que há muitas coisas que deves melhorar para pegar as rédias de tua vida te recomendo que trabalhes com técnicas de autoajuda como EFT y ThetaHealing, muito eficazes para desbloquear todas as barreiras que nos impomos e nos impedem ser felizes. Há muito material de graça na web www.liberacionemocional.com.

Patrícia Rómer, jornalista, experta em EFT, ThetaHealing, coaching ( patricia@liberacionemocional.com)


SER HUMANO: DIAGNÓSTICO GRAVE



Las manifestaciones colectivas de la locura asentada en el corazón de la condición humana constituyen la mayor parte de la historia de la humanidad. Es, en gran medida, una historia de demencia. Si la historia de la humanidad fuera la historia clínica de un solo ser humano, el diagnóstico sería el siguiente:

Desórdenes crónicos de tipo paranoide, propensión patológica a cometer asesinato y actos de violencia y crueldad extremas contra sus supuestos "enemigos", su propia inconsciencia proyectada hacia el exterior; demencia criminal, con unos pocos intervalos de lucidez.
El miedo, la codicia y el deseo de poder son las fuerzas psicológicas que no solamente inducen a la guerra y la violencia entre las naciones, las tribus, las religiones y las ideologías, sino que también son la causa del conflicto incesante en las relaciones personales. Hacen que tengamos una percepción distorsionada de nosotros mismos y de los demás. A través de ellas interpretamos equivocadamente todas las situaciones, llegando a actuaciones descarriadas encaminadas a eliminar el miedo y satisfacer la necesidad de tener más: ese abismo sin fondo que no se llena nunca.

Eckhart Tolle

LA INTELIGENCIA PERDIDA



La mayor infelicidad de la vida consiste en sentirse estúpido, inútil, tonto; nadie nace tonto; nadie nace tonto porque provenimos de la existencia.

La inteligencia se consume al imitar a los demás. Si quieres seguir siendo inteligente, tendrás que dejar de imitar.

Todo está patas arriba porque la educación no se ajusta a tu naturaleza. No respeta en absoluto al individuo, fuerza a todo el mundo a ajustarse a un determinado patrón. Quizá, de casualidad, ese patrón se ajuste a algunas personas, pero la mayoría, se encuentra perdida y es infeliz. Y por eso no encontramos nuestro verdadero lugar, porque no es nuestro.

La inteligencia es la capacidad de ver, de entender, de vivir tu propia vida de acuerdo con tu propia naturaleza. Eso es la inteligencia. Pero ¿qué es la idiotez? Seguir a otros, imitar a otros, obedecer a otros. Mirar a través de sus ojos, tratar de absorber su conocimiento como si fuera tuyo; eso es la idiotez.

Si realmente quieres ser inteligente, tienes que ser rebelde. Sólo son inteligentes las personas rebeldes. Quiero decir, abandonar todo aquello a lo que te han forzado en contra de tu deseo.

¡Sal de ahí! Dale alegría a tu vida, deja que la vida tenga algo de romanticismo; algo de aventura. ¡Explora! Hay un millón de cosas bellas y maravillosas que te están esperando.

Escrito por “El lobo estepario” abril 2009.-

FUNDÉU RECOMIENDA...


Recomendación del día


preelectoral se escribe en una sola palabra

En las noticias referentes a las elecciones generales que se celebrarán en España el próximo 20 de noviembre, es habitual encontrar diferentes formas de escribir el adjetivo preelectoral: «El candidato del Partido Popular acepta los debates pre-electorales con sus rivales», «El candidato del PSOE, que ha hecho estas declaraciones en un acto pre-electoral» o «Es su objetivo en esta temporada de viajes y mítines de su campaña pre electoral para las próximas generales».

El prefijo pre-, igual que todos los prefijos, se escribe unido a la palabra, sin guion ni espacio: preelectoral, prehispánico, preindustrial...

Por tanto, en los ejemplos anteriores, lo apropiado habría sido escribir: «El candidato del Partido Popular acepta los debates preelectorales con sus rivales», «El candidato del PSOE, que ha hecho estas declaraciones en un acto preelectoral» y «Es su objetivo en esta temporada de viajes y mítines de su campaña preelectoral para las próximas generales».

Se procura um serviço de máxima qualidade e profissionalidade, podemos ajudar-lhe