Google+ Badge

Google+ Followers

Se você procura um serviço de tradução português-espanhol profissional e de máxima qualidade, podemos ajudar-lhe...

domingo, 4 de abril de 2010

O CICLO DOS SETE ANOS



El ciclo de los 7 años

"La vida tiene círculos de siete años, ella se mueve en círculos de siete años exactamente como la tierra efectúa una rotación sobre su eje cada veinticuatro horas. Nadie sabe porque no son veinticinco o veintitrés horas. No hay ningún modo de responder esto. Es simplemente un hecho. Así, no me pregunte porque la vida se mueve en círculos de siete años. Yo no lo sé. Lo máximo que yo sé es que ella se mueve en círculos de siete años. Y si usted comprende esos círculos de siete años, usted comprenderá una cosa de gran importancia sobre el crecimiento humano.
Los primeros siete años son los más importantes porque los cimientos de la vida están siendo asentados. Es por esto que todas las religiones están muy preocupadas en agarrar los niños lo más rápido posible. Los judíos circuncidan los niños. ¡Qué tontería! Pero ellos están identificando al niño como judío. Esa es una manera primitiva de identificar. Aún se hace esto con el ganado aquí en los alrededores.
Aquellos primeros siete años son los años en que usted es condicionado, es cargado con todos los tipos de ideas que irán a atormentarlo a lo largo de toda su vida, que lo distraerán de su potencialidad, que lo corromperán, que nunca le permitirán ver claramente. Ellas siempre estarán como nubes delante de sus ojos y harán que todo se vea confuso. Las cosas son claras, muy claras. La existencia es absolutamente clara. Pero ante sus ojos hay nubes y más nubes de polvo.
Y toda esa polvareda fue preparada en los primeros siete años de su vida, cuando usted era tan inocente, tan confiado, que cualquier cosa que le fuera dicha usted la aceptaba como verdadera. Y más tarde, será muy difícil para usted descubrir todo aquello que entró en sus cimientos. Se habrá tornado casi parte de su sangre, huesos, de su propia médula. Usted preguntará otras mil cuestiones, pero usted nunca preguntará con respecto de los cimientos básicos de sus creencias.
La primera expresión de amor para con el niño es dejarlo absolutamente inocente en sus primeros siete años, sin condicionamientos, dejarlo por siete anos completamente salvaje, un pagano. El no debería ser convertido al hinduismo, al islamismo, al cristianismo. Cualquiera que esté intentando convertir a un niño, no tiene compasión, es cruel, está contaminando el alma de un poderoso recién llegado. Antes de que la crianza haya formulado preguntas, ella ya habrá recibido respuestas con filosofías, dogmas e ideologías pre-fabricadas. Esta es una situación muy extraña. La crianza no preguntó respecto de Dios y usted ya le está enseñando. ¿Por qué tanta impaciencia? ¡Espere!
Si algún día la crianza demuestra interés por Dios y comienza a preguntar al respecto, entonces intente decir a ella no apenas su idea sobre Dios, porque nadie tiene ningún monopolio. Coloque delante de ella todas las ideas de Dios que estuvieron presentes en diferentes pueblos, en épocas diferentes, por religiones, culturas y civilizaciones diferentes. Y dígale: “Usted puede escoger de entre todas éstas aquella que más le atraiga. O usted puede inventar la suya propia, si ninguna le resulta adecuada. Si todas le parecen defectuosas, y usted cree que puede tener una idea mejor, entonces invente la suya propia. O si usted piensa que no hay forma de inventar una idea sin fallas, entonces abandone toda esa historia, ella no es necesaria. Un hombre puede vivir sin Dios”.
No hay ninguna necesidad de que el hijo tenga que concordar con el padre. La verdad me parece mucho mejor que él no coincida. Es así que la evolución acontece. Si todas las crianzas concordaran con sus padres, entonces no habría ninguna evolución, porque el padre habrá concordado con su propio padre, y todo el mundo estará en el punto en que Dios dejó a Adán y Eva: desnudos y expulsados del jardín del Edén. Todo el mundo estará allá. El hombre ha evolucionado porque los hijos han discordado de sus padres, de los padres de sus padres y de todas las tradiciones. Toda esa evolución es una tremenda divergencia con el pasado. Cuanto más inteligente usted sea, más usted discordará. Pero los padres valorizan más a las crianzas que concuerdan y condenan a las que discuerdan.
Hasta los siete años, si la crianza pudiera ser dejada inocente, no corrompida por las ideas de los otros, será imposible distraerla de su crecimiento potencial.
Los primeros siete años de la crianza son los más vulnerables. Y ellas están en las manos de los padres, de los profesores, de los sacerdotes....
Como defender a las crianzas de los padres, de los sacerdotes y de los profesores es una cuestión de tamaña proporción que parece casi imposible de lograrse. No es cuestión de ayudar a la crianza. La cuestión es proteger a la crianza. Se usted tiene un niño, protéjalo de usted mismo. Proteja a la crianza de los otros que puedan influenciarla, por lo menos hasta los siete años, protéjala. Una crianza es como una pequeña plantita, débil y suave. Un simple viento fuerte puede destruirla, cualquier animal puede comerla. Usted pone un hilo protector alrededor de ella, pero no la aprisiona, usted está simplemente protegiéndola. Cuando la planta sea mayor, el hilo será removido.
Proteja a la crianza de todo tipo de influencia de modo tal que ella pueda permanecer ella misma. Y eso es solo una cuestión de siete años, porque entonces el primer círculo estará completo. A los siete años ella estará bien enraizada, centrada, lo suficientemente fuerte. Usted no sabe cuánto una crianza de siete años puede ser fuerte porque usted solo ha visto crianzas corrompidas. Ellas cargan los miedos y la cobardía de sus padres, madres y familiares. Ellas no son ellas mismas.
Si una crianza permanece sin ser corrompida por siete anos... Usted quedará sorprendido al encontrarse con ella. Ella será tan afilada como una espada. Sus ojos serán claros, sus insights serán claros. Y usted verá en ella una tremenda fuerza que usted no podrá encontrar ni siquiera en un adulto de setenta años.
Si usted es un padre (o madre), usted precisará mucho de ese coraje para no interferir. Abra puertas para direcciones desconocidas de modo que la crianza pueda explorarlas. Ella no conoce lo que ella tiene dentro de sí misma, nadie sabe. Ella tendrá que tantear en lo oscuro. No haga que ella tenga miedo de lo oscuro, no haga que ella tenga miedo del fracaso, no haga que ella tenga miedo de lo desconocido. De a ella soporte. Cuando ella este yendo para una jornada desconocida, ofrezca a ella todo su soporte, con todo su amor, con todas sus bendiciones.
No deje que ella sea afectada por sus miedos. Usted puede tener miedos, pero manténgalos consigo mismo. No descargue esos miedos sobre la crianza, porque eso será interferencia.
Después de los siete años, en el próximo círculo de siete años, de los siete a los catorce, algo nuevo es agregado a su vida: los primeros alborozos de la energía sexual de la crianza. Pero ellos son apenas una especie de ensayo.
Ser padres es una tarea difícil. Así, a no ser que usted este pronto para asumir tal tarea difícil, no se torne un padre. Las personas simplemente se siguen tornando padres y madres sin saber lo que están haciendo. Usted está trayendo una vida a la existencia y todo el cuidado del mundo será necesario.
Ahora, cuando la crianza comienza a jugar con sus ensayos sexuales, es el tiempo en que los padres más interfieren, porque fue así que hicieron con ellos. Todo lo que ellos saben es lo que fue hecho con ellos, así ellos siguen haciendo lo mismo con sus hijos. Las sociedades no permiten ensayos sexuales, por lo menos no lo permitieron hasta el siglo XX, excepto en las dos o tres últimas décadas en algunos países muy avanzados. Ahora ya existen escuelas mixtas para las crianzas, pero en un país como la India, aún ahora, la educación mixta comienza a surgir apenas en el nivel universitario.
El niño de siete años y la niña de siete años no pueden estar en el mismo internado. Y este es el momento para ellos, sin cualquier riesgo, sin peligro de embarazo, sin que cualesquier problemas surjan para sus familias; este es el momento en que les deberían ser permitido todos los juegos.
Sí, esto tendrá una connotación sexual, pero será solo un ensayo, no se trata de un drama teatral verdadero. Y si usted no permite a ellos ni siquiera ese ensayo, de repente entonces, un día la cortina se abrirá y el verdadero drama comenzará... Y ellos no sabrán lo que está aconteciendo y no habrá ni siquiera aquella persona escondida en el palco para soplarles lo que deben hacer. Usted habrá embrollado la vida de ellos completamente.
Esos siete años, del segundo círculo de la vida, son significativos como un ensayo. Ellos se encontrarán, se mezclarán, jugarán y se conocerán. Y esto ayudará a la humanidad a librarse de casi el noventa por ciento de las perversiones. Si a las crianzas de los siete a los catorce años les fuera permitido estar juntas, nadar juntas, estar desnudas juntas, noventa por ciento de las perversiones y noventa por ciento de las pornografías simplemente desaparecerán. ¿Quien prestará atención a esas cosas?
Cuando un joven conoció tantas muchachas desnudas, ¿qué interés una revista tipo Playboy podrá tener para él? Cuando una adolescente haya visto tantos muchachos desnudos, yo no veo cualquier posibilidad de existir curiosidad respecto del otro. Esto simplemente desaparecerá. Ellos crecerán juntos naturalmente, no como dos especies diferentes de animales. Es así que ellos crecen ahora, como dos especies diferentes de animales. Ellos no pertenecen a la misma especie humana, ellos son mantenidos separados. Mil y una barreras son creadas entre ellos, y no se les permite cualquier ensayo de su vida sexual que está llegando...
Si usted hubiese efectuado el deber de casa correctamente, si usted hubiera jugado con su energía sexual exactamente con el espíritu de un deportista (y en aquella edad este es el único espíritu que usted podría tener), usted no se tornará un pervertido, un homosexual. Todo tipo de cosas extrañas no vendrán a su cabeza, porque usted se está moviendo naturalmente con el otro sexo y el otro sexo se está moviendo con usted. No habrá cualquier bloqueo y usted no estará haciendo nada equivocado con quien quiera que sea. Su consciencia estará clara porque nadie puso en ella ideas de lo que es cierto y de lo que es errado. Usted simplemente está siendo lo que usted es.
De los catorce a los veintiún su sexo madura. Y ello es significativo para entenderse: si el ensayo hubiese sido bueno en el período de los siete a los catorce cuando el sexo madura, acontece una cosa muy extraña que usted mismo no debe haber pensado al respecto, porque no le fue dada la oportunidad. Yo dije a usted que el segundo círculo de siete años, de los siete a los catorce, dio a usted una percepción del antes de la pieza teatral. El tercer círculo de siete anos da a usted un comprensión de lo que viene después. Usted está aún con muchachas o muchachos, pero ahora una nueva fase comienza en su ser: usted comienza a apasionarse.
No es todavía un interés biológico. Usted no está interesado en procrear, usted no está interesado en ser marido o esposa. Estos son los años de los juegos románticos. Usted está más interesado en la belleza, en el amor, en la poesía, en la escultura, que son fases diferentes del romanticismo.
De los veintiuno a los veintiocho es un tiempo en que ellos pueden ponerse de acuerdo. Ellos pueden escoger un compañero. Y ellos son capaces de escoger ahora, a través de toda la experiencia de los dos círculos pasados ellos pueden elegir al compañero cierto. No hay nadie que pueda hacer esto por usted. Esto es algo como un presentimiento. Ninguna aritmética, ninguna astrología, ninguna quiromancia, ningún I-Ching podrán hacer esto.
Esto es un presentimiento: entrando en contacto con muchas, muchas personas, de repente alguna cosa da un clique que nunca dio con cualquier otra persona. Y ello clica con tanta certeza y tan absolutamente, que usted no puede ni siquiera dudar. Mismo si usted intentara dudar, usted no conseguirá. La certeza es tan tremenda. Con ese clique usted se pone de acuerdo.
Entre los veintiuno y los veintiocho, en algún lugar, si todo marcha bien del modo que yo estoy diciendo, sin ninguna interferencia de otros, entonces ustedes se ponen de acuerdo. Es el período más agradable de la vida entre los veintiocho a los treinta y cinco años: el más alegre, el más pacífico y armonioso, porque dos personas comienzan a derretirse y a fundirse una con la otra.
De los treinta y cinco a los cuarenta y dos, un nuevo paso, otra nueva puerta se abre. Si hasta los treinta y cinco usted sintió profunda armonía, una sensación orgásmica y hubiera descubierto la meditación a través de ello, entonces, de los treinta y cinco a los cuarenta y dos ustedes se ayudarán el uno al otro a ir más y más a fondo en la meditación sin sexo, porque el sexo en este punto comienza a parecer infantil, juvenil. Cuarenta y dos años es el tiempo correcto cuando la persona debería ser capaz de saber exactamente quien es ella.
De los cuarenta y dos a los cuarenta y nueve ella va aún más y más a fondo en la meditación, pero es más para dentro de sí mismo, y ayuda al compañero en el mismo camino. Ellos se transforman en amigos. No existe más marido y no existe más esposa. Ese tiempo ya pasó. Esto ya entregó su riqueza para sus vidas. Ahora existe alguna cosa más alta, más elevada que el amor. Esto es amistad, una relación de compasión para ayudar al otro a ir más a fondo dentro de sí mismo, a tornarse más independiente, a ser más solitario, como dos árboles altos, separados pero todavía próximas uno del otro, o dos pilares en un templo soportando el mismo techo, estando tan próximos y tan separados, tan independientes y tan solos.
De los cuarenta y nueve a los cincuenta y seis esa soledad se transforma en el foco de su ser. Todo en el mundo pierde su significado. La única cosa significativa que permanece es esa soledad.
De los cincuenta y seis a los sesenta y tres usted se torna totalmente lo que usted está para ser: el florecimiento potencial.
De los sesenta y tres a los setenta usted comienza a estar preparado para dejar el cuerpo. Ahora usted sabe que no es el cuerpo, usted sabe que tampoco es la mente. El cuerpo era conocido como separado de usted en algún lugar cuando usted tenía treinta y cinco años. Que la mente está separada de usted fue conocido en algún momento cuando usted tenía cuarenta y nueve años. Ahora, todo lo demás fue dejado de lado excepto la auto-observación. Solo la pura conciencia, la llama de la consciencia permanece con usted, y esto es la preparación para la muerte.
Setenta es la duración de la vida natural para el hombre. Y si las cosas se mueven en su curso natural, entonces él muere con tremenda alegría, en un gran éxtasis, sintiéndose inmensamente bendecido porque su vida no fue sin significado y que, por lo menos, él encontró sea lugar. Y por causa de esa riqueza, de esa realización, él es capaz de bendecir toda la existencia.
“Solo el estar cerca de tal persona, cuando ella está muriendo, es una gran oportunidad. Usted sentirá, en la medida en que él deja el cuerpo, algunas flores invisibles cayendo sobre usted. No obstante usted no pueda verlas, usted podrá sentirlas".
OSHO - From Darkness to Light
Traducción: Sw. Bodhi Champak Versão ao español: Oscar Ricardo García
Copyright © 2006 OSHO INTERNATIONAL FOUNDATION, Suiça.
Todos os direitos reservados.



O ciclo dos sete anos

"A vida tem círculos de sete anos, ela se move em círculos de sete anos exatamente como a terra faz uma rotação em seu eixo em vinte e quatro horas. Ninguém sabe porque não são nem vinte e cinco nem vinte e três horas. Não há nenhum jeito de se responder isso. É simplesmente um fato. Assim, não me pergunte porque a vida se move em círculos de sete anos. Eu não sei. O máximo que eu sei é que ela se move em círculos de sete anos. E se você compreender esses círculos de sete anos, você compreenderá uma grande coisa sobre o crescimento humano.
Os primeiros sete anos são os mais importantes porque os alicerces da vida estão sendo assentados. É por isso que todas as religiões estão muito preocupadas em agarrar as crianças o mais rápido possível. Os judeus circuncidam as crianças. Que bobagem! Mas eles estão carimbando a criança como uma judia. Essa é uma maneira primitiva de carimbar. Ainda se faz isso com o gado aqui nas redondezas.
Aqueles primeiros sete anos são os anos em que você é condicionado, é preenchido com todos os tipos de idéias que irão atormentá-lo ao longo de toda a sua vida, que irão distraí-lo de sua potencialidade, que irão corrompê-lo, que nunca irão lhe permitir ver claramente. Elas sempre virão como nuvens diante de seus olhos e irão fazer com que tudo fique confuso. As coisas são claras, muito claras. A existência é absolutamente clara. Mas os seus olhos têm camadas e mais camadas de poeira.
E toda essa poeira foi arranjada nos primeiros sete anos de sua vida, quando você era tão inocente, tão confiante, que qualquer coisa que lhe fosse dita você aceitava como sendo verdadeira. E mais tarde, será muito difícil você descobrir tudo aquilo que entrou em seus alicerces. Terá se tornado quase parte de seu sangue, ossos, de sua própria medula. Você perguntará mil outras questões, mas você nunca perguntará a respeito dos alicerces básicos de suas crenças.
A primeira expressão de amor para com a criança é deixá-la absolutamente inocente em seus primeiros sete anos, sem condicionamento, deixá-la por sete anos completamente selvagem, uma pagã. Ela não deveria ser convertida ao hinduismo, ao islamismo, ao cristianismo. Qualquer um que esteja tentando converter a criança, não tem compaixão, é cruel, está contaminando a própria alma de um viçoso recém-chegado. Antes mesmo que a criança tenha formulado perguntas, ela já terá recebido respostas com filosofias , dogmas e ideologias pré-fabricadas. Essa é uma situação muito estranha. A criança não perguntou a respeito de Deus e você já está lhe ensinando. Por que tanta impaciência? Espere!
Se algum dia a criança demonstrar interesse por Deus e começar a perguntar a respeito, então tente dizer a ela não apenas a sua idéia sobre Deus, porque ninguém tem qualquer monopólio. Coloque diante dela todas as idéias de Deus que estiveram presentes em diferentes povos, em épocas diferentes, por religiões, culturas e civilizações diferentes. E lhe diga: 'Você pode escolher dentre essas aquela que mais lhe atrai. Ou você pode inventar a sua própria, se nenhuma estiver adequada. Se todas lhe parecerem defeituosas, e você achar que pode ter uma idéia melhor, então invente a sua própria. Ou se você achar que não há jeito de inventar uma idéia sem falhas, então abandone toda essa história, ela não é necessária. Um homem pode viver sem Deus.'
Não há qualquer necessidade de que o filho tenha que concordar com o pai. Na verdade parece muito melhor que ele não tenha que concordar. É assim que a evolução acontece. Se toda criança concordar com o pai, então não haverá qualquer evolução, porque o pai terá concordado com seu próprio pai, e todo mundo estará no ponto em que Deus deixou Adão e Eva: nus e expulsos do jardim do Éden. Todo mundo estará lá. O homem tem evoluído porque os filhos têm discordado de seus pais, dos pais de seus pais e de todas as tradições. Toda essa evolução é uma tremenda divergência com o passado. Quanto mais inteligente você for, mais você irá discordar. Mas os pais valorizam as crianças que concordam e condenam as que discordam.
Até os sete anos, se a criança puder ser deixada inocente, não corrompida pelas idéias dos outros, assim tornar-se-á impossível distraí-la de seu crescimento potencial.Os primeiros sete anos da criança são os mais vulneráveis. E elas estão nas mãos dos pais, dos professores, dos padres....
Como defender as crianças dos pais, dos padres e dos professores é uma questão de tamanha proporção que parece quase impossível de se fazer. Não é uma questão de ajudar a criança. A questão é proteger a criança. Se você tiver uma criança, proteja-a de si mesmo. Proteja a criança dos outros que possam influenciá-la, pelo menos até os sete anos, proteja-a. A criança é como uma pequena plantinha, fraca e suave. Um simples vento forte pode destruí-la, qualquer animal pode comê-la. Você põe um fio protetor ao redor dela, mas não a aprisiona, você está simplesmente protegendo-a.Quando a planta estiver maior, o fio será removido.
Proteja a criança de todo tipo de influência de modo que ela possa permanecer ela mesma. E isso é só uma questão de sete anos, porque então o primeiro círculo estará completo. Aos sete anos ele estará bem enraizado, centrado, forte o suficiente. Você não sabe o quanto uma criança de sete anos pode ser forte porque você só tem visto crianças corrompidas. Elas carregam os medos e a covardia de seus pais, mães e familiares. Elas não são elas mesmas.
Se uma criança permanecer sem ser corrompida por sete anos... Você ficará surpreso ao encontrar tal criança. Ela será tão afiada como uma espada. Seus olhos serão claros, seus insights serão claros. E você verá nela uma tremenda força que você não poderá encontrar nem mesmo num adulto de setenta anos.
Se você é um pai (ou mãe), você precisará muito dessa coragem para não interferir. Abra portas para direções desconhecidas de modo que a criança possa explorá-las. Ela não conhece o que ela tem dentro dela, ninguém sabe. Ela terá que tatear no escuro. Não faça com que ela tenha medo do escuro, não faça com que ela tenha medo do fracasso, não faça com que ela tenha medo do desconhecido. Dê a ela suporte. Quando ela estiver indo para uma jornada desconhecida, ofereça a ela todo o seu suporte, com todo o seu amor, com todas as suas bênçãos.
Não deixe que ela seja afetada pelos seus medos. Você pode ter medos, mas mantenha-os consigo mesmo. Não descarregue esses medos em cima da criança, porque isso será interferência.
Depois dos sete anos, no próximo círculo de sete anos, dos sete aos quatorze, algo novo é acrescentado à vida: os primeiros alvoroços da energia sexual da criança. Mas elas são apenas uma espécie de ensaio.
Ser pai é uma tarefa difícil. Assim, a não ser que você esteja pronto para assumir tal tarefa difícil, não se torne um pai. As pessoas simplesmente seguem se tornando pais e mães sem saber o que estão fazendo. Você está trazendo uma vida à existência e todo o cuidado do mundo será necessário.
Agora, quando a criança começa a brincar com seus ensaios sexuais, é o tempo em que os pais mais interferem, porque foi assim que fizeram com eles. Tudo o que eles sabem é o que foi feito com eles, assim eles seguem fazendo o mesmo com as suas crianças. As sociedades não permitem ensaio sexual, pelo menos não permitiram até o século XX, exceto nas duas e três últimas décadas em alguns países muito avançados. Agora já existem escolas mistas para as crianças, mas em um país como a Índia, mesmo agora, a educação mista começa a surgir apenas no nível universitário.
O menino de sete anos e a menina de sete anos não podem estar no mesmo internato. E este é o momento para eles, sem qualquer risco, sem perigo de gravidez, sem que quaisquer problemas surjam para suas famílias; este é o momento em que lhes deveriam ser permitidas todas as brincadeiras.
Sim, isso terá uma conotação sexual, mas será só um ensaio, não se trata de um drama teatral verdadeiro. E se você não permitir a eles nem mesmo esse ensaio, de repente então, um dia a cortina se abrirá e o verdadeiro drama começará... E eles não saberão o que está acontecendo e não haverá nem mesmo aquela pessoa escondida no palco para lhes soprar o que devem fazer. Você terá bagunçado a vida deles completamente.
Esses sete anos, o segundo círculo da vida, são significantes como um ensaio. Eles se encontrarão, se misturarão, brincarão e se conhecerão. E isso ajudará à humanidade a se livrar de quase noventa por cento das perversões. Se às crianças dos sete aos quatorze for permitido estarem juntas, nadarem juntas, estarem nuas juntas, noventa por cento das perversões e noventa por cento das pornografias irão simplesmente desaparecer. Quem irá dar atenção a essas coisas?
Quando um garoto conheceu tantas garotas nuas, que interesse uma revista tipo Playboy poderá ter para ele? Quando uma garota tiver visto tantos garotos nus, eu não vejo qualquer possibilidade de existir curiosidade a respeito do outro. Isso simplesmente desaparecerá. Eles irão crescer juntos naturalmente, não como duas espécies diferentes de animais. É assim que eles crescem agora, como duas espécies diferentes de animais. Eles não pertencem à mesma espécie humana, eles são mantidos separados. Mil e uma barreiras são criadas entre eles, e não lhes permitem qualquer ensaio de sua vida sexual que está chegando...
Se você tiver feito o dever de casa direitinho, se você tiver brincado com sua energia sexual exatamente com o espírito de um desportista (e naquela idade este é o único espírito que você poderia ter), você não se tornará um pervertido, um homossexual. Todo tipo de coisas estranhas não virão à sua cabeça, porque você está se movendo naturalmente com o outro sexo e o outro sexo está se movendo com você. Não haverá qualquer bloqueio e você não estará fazendo nada errado com quem quer que seja. Sua consciência estará clara porque ninguém pôs nela idéias do que é certo e do que é errado. Você simplesmente está sendo o que você é.
Dos quatorze aos vinte e um o seu sexo amadurece. E isso é significante para se entender: se o ensaio tiver sido bom no período dos sete aos quatorze quando o sexo amadurece, acontece uma coisa muito estranha que você nem mesmo deve ter pensado a respeito, porque não lhe foi dada a oportunidade. Eu disse a você que o segundo círculo de sete anos, dos sete aos quatorze, deu a você um vislumbre de antes da peça teatral. O terceiro círculo de sete anos da a você um vislumbre do que vem depois.Você está ainda com garotas ou garotos, mas agora uma nova fase começa em seu ser: você começa a se apaixonar.
Não é ainda um interesse biológico. Você não está interessado em procriar, você não está interessado em se tornar marido ou esposa. Esses são os anos dos jogos românticos. Você está mais interessado na beleza, no amor, na poesia, na escultura, que são fases diferentes de romantismo.
Dos vinte e um aos vinte e oito é um tempo em que eles podem se acertar. Eles podem escolher um companheiro. E eles são capazes de escolher agora, através de toda a experiência dos dois círculos passados eles podem escolher o companheiro certo. Não há mais ninguém que possa fazer isso por você. Isso é algo como um pressentimento. Nenhuma aritmética, nenhuma astrologia, nenhuma quiromancia, nenhum I-Ching poderão fazer isso.
Isso é um pressentimento: entrando em contato com muitas, muitas pessoas, de repente alguma coisa dá um clique que nunca deu com qualquer outra pessoa. E isso clica com tanta certeza e tão absolutamente, que você não pode nem mesmo duvidar. Mesmo se você tentar duvidar, você não conseguirá. A certeza é tão tremenda. Com esse clique vocês se acertam.
Entre os vinte e um e os vinte e oito, em algum lugar, se tudo correr bem do jeito que eu estou dizendo, sem interferência de outros, então vocês se acertam. E o período mais agradável da vida vem dos vinte e oito aos trinta e cinco: o mais alegre, o mais pacífico e harmonioso, porque duas pessoas começam a se derreter e a se fundir uma com a outra.
Dos trinta e cinco aos quarenta e dois, um novo passo, uma nova porta se abre. Se até os trinta e cinco você sentiu profunda harmonia, uma sensação orgástica e tiver descoberto a meditação através disso, então, dos trinta e cinco aos quarenta e dois vocês ajudarão um ao outro a ir mais e mais fundo na meditação sem sexo, porque o sexo neste ponto começa a parecer infantil, juvenil. Quarenta e dois anos é o tempo certo quando a pessoa deveria ser capaz de saber exatamente quem ela é.
Dos quarenta e dois aos quarenta e nove ela vai mais fundo e mais fundo na meditação, mais e mais para dentro de si mesmo, e ajuda o companheiro no mesmo caminho. Eles se tornam amigos. Não mais existe marido e não mais existe esposa. Esse tempo já passou. Isso já deu a sua riqueza para a sua vida. Agora existe alguma coisa mais alta, mais alta que o amor. Isso é amizade, um relacionamento de compaixão para ajudar o outro a ir mais fundo dentro de si mesmo, a se tornar mais independente, a se tornar mais só, como duas árvores altas, separadas mas ainda próximas uma da outra, ou dois pilares num templo suportando o mesmo teto, estando tão próximos e tão separados, tão independentes e tão sós.
Dos quarenta e nove aos cinqüenta e seis essa solitude se torna o foco de seu ser. Tudo no mundo perde o significado. A única coisa significante que permanece é essa solitude.
Dos cinqüenta e seis aos sessenta e três você se torna totalmente o que você está para ser: o florescimento potencial.
Dos sessenta e três aos setenta você começa a ficar pronto para deixar o corpo. Agora você sabe que não é o corpo, você sabe que também não é a mente. O corpo era conhecido como separado de você em algum lugar quando você tinha trinta e cinco anos. Que a mente está separada de você foi conhecido em algum lugar quando você tinha quarenta e nove anos. Agora, tudo mais foi deixado de lado exceto a auto observação. Só a pura consciência, a chama da consciência permanece com você, e isso é a preparação para a morte.
Setenta é a duração de vida natural para o homem. E se as coisas se moverem em seu curso natural, então ele morre com tremenda alegria, em grande êxtase, sentindo-se imensamente abençoado porque a sua vida não foi sem significado e que, pelo menos, ele encontrou o seu lar. E por causa dessa riqueza, dessa realização, ele é capaz de abençoar toda a existência.
Só por estar perto de tal pessoa, quando ela está morrendo, é uma grande oportunidade. Você sentirá, na medida em que ele deixa o corpo, algumas flores invisíveis caindo sobre você. Embora você não possa vê-las, você poderá senti-las."
OSHO - From Darkness to Light
tradução: Sw.Bodhi Champak
Copyright © 2006 OSHO INTERNATIONAL FOUNDATION, Suiça.
Todos os direitos reservados.
Se procura um serviço de máxima qualidade e profissionalidade, podemos ajudar-lhe